Argentino encontra ossos que podem ser de animal extinto há 10 mil anos

07/11/2014 09:56

Pesquisadores acreditam que restos são de mastodonte ou gliptodonte.
Achado aconteceu na cidade argentina de San Lorenzo.

EFE

Um morador da cidade argentina de San Lorenzo, na província argentina de Santa Fé, descobriu os restos ósseos do que poderia ser um gliptodonte ou um mastodonte, espécies de animais já extintos, mas que viveram na Terra há mais de 10 mil anos. O achado aconteceu durante a escavação de um poço.

Recriação de mastodonte, espécie que pertence à família dos mamutes (Foto: Dantheman9758/Creative Commons)Recriação de mastodonte, espécie que pertence à família dos mamutes (Foto: Dantheman9758/Creative Commons)

A descoberta foi nesta quinta-feira (6), quando Alcides Ojeda cavava com uma pá e, a apenas um metro e meio de profundidade, topou com um osso "enorme", que pesquisadores catalogaram dentro de uma espécie da denominada megafauna, que habitou a região há mais de 10 mil anos. "Estava cavando e em um momento encontrei algo muito duro. É usual que ao cavar assim fiquem enterrados galhos ou tijolos, mas isto era algo diferente. Fui tirando a terra e descobri um enorme osso", explicou Ojeda aos meios de comunicação.

Em declarações ao site "SL24", Juan Nóbile, membro da Equipe Argentina de Antropologia Legista, detalhou que "pela profundidade e primeiros indícios se trataria de um gliptodonte ou mastodonte de 10 mil anos de antiguidade".

"Com os estudos se determinará a espécie e antiguidade", acrescentou Nóbile, que considera que "o mais provável é que sejam restos articulados, ou seja, que haja mais ossos na zona".

As primeiras análises realizadas nos ossos dão como resultado que podem corresponder a alguns dos animais mais típicos da megafauna, como os megaterios, tigre-dente- de-sabre, mamutes, gliptodontes ou mastodontes.

Exemplar de gliptodonte, ancestral dos atuais tatus, que viveu nas Américas há mais de 10 mil anos (Foto: GDFL/Wikimedia Commons)

Exemplar de gliptodonte, ancestral dos atuais tatus, que viveu nas Américas há mais de 10 mil anos (Foto: Pavel Riha/GDFL/Wikimedia Commons)

Manifeste sua opinião

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário