Começam obras do túnel que liga Charitas ao Cafubá, em Niterói

07/07/2015 17:16

Ônibus fará o percurso do Engenho do Mato até Charitas em 25 minutos.
Previsão é que obras estejam concluídas em cerca de dois anos.

Do G1 Rio

Começa nesta terça-feira (7) a perfuração do túnel Charitas-Cafubá, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, que vai ligar a Região Oceânica à Zona Sul de Niterói. O túnel terá 1,3 quilômetro. A perfuração do túnel termina próximo ao catamarã de Charitas. Para começar a abertura do túnel serão usados 150 kg de dinamite. Serão três detonações por dia durante um ano.

A expectativa é que a viagem entre esses trechos, que hoje pode levar até uma hora e meia, em horários de pico, reduza para cerca de 25 e 30 minutos. A via expressa terá 9,3 quilômetros de extensão, vai atender diretamente 11 bairros da Região Oceânica de Niterói e transportará cerca de 80 mil pessoas por dia. Pelo sistema, os passageiros poderão embarcar nos veículos em seus próprios bairros. Em seguida, os ônibus entrarão na faixa exclusiva do BHLS. A expectativa é de que o trânsito melhore na cidade toda.

"A obra vai tirar o fluxo pesado de veículos sobre eixos saturados da cidade. Inclusive na Ponte Rio-Niterói, que hoje é o principal problema de mobilidade não apenas de Niterói, mas de todo eixo metropolitano, em São Gonçalo, em Itaboraí e até no Rio de Janeiro", Rodrigo Neves, prefeito de Niterói.

O ônibus fará o percurso do Engenho do Mato até Charitas em 25 minutos, passando por 13 estações e pelo túnel, que não terá cobrança de pedágio. O corredor viário também contará com ciclovia. No projeto da TransOceânica está prevista, ainda, a integração da via com a estação hidroviária de Charitas. O investimento total da obra é de R$ 310.894.585,00, com recursos do governo federal e da Prefeitura de Niterói.

A secretária municipal de Urbanismo e Mobilidade Urbana, Verena Andreatta, destaca a importância do projeto para a mobilidade urbana da cidade. “Integrando essas duas regiões com transporte de qualidade, são ônibus BRT, uma ciclovia também está integrada a esse projeto de mobilidade urbana e duas faixas para veículos”, afirmou a secretária, ressaltando que não haverá cobrança de pedágio no túnel. A expectativa é que o túnel esteja aberto em um ano e as obras concluídas em cerca de dois anos.

Durante as obras, 44 famílias terão que ser reassentadas. A Prefeitura de Niterói afirma que estas pessoas receberão aluguel-social e devem entrar em um programa de assistência do governo.

Clique na imagem para assistir a reportagem.