Dez alimentos humanos perigosos para o seu cachorro

14/01/2015 08:59

Uma carninha aqui, um petisquinho ali... Saiba o que pode e o que não pode ser dado para o cachorro comer

eCycle

cachorroA maioria dos amantes dos animais sabe que é uma má ideia dar sobrinhas do jantar para o seu amigo canino, mas é praticamente inevitável que eles surrupiem algumas delas que acabam caindo no chão ou que você mesmo cometa um deslize e não resista aos olhinhos pidões. Até aí tudo bem, mas o problema são alguns alimentos específicos que os cachorros não podem experimentar de jeito nenhum. Isso porque eles podem ser mais do que perigosos - chegam até mesmo a ser mortais. Conhecer quais são essas comidas pode evitar uma tragédia; e também recomendamos consultar um veterinário para saber a melhor dieta recomendada para o seu cãozinho.

1. Alho e cebola

Esses temperos, quando crus, são terríveis para o seu amigo de quatro patas. No entanto, qualquer comida temperada deve ser evitada. Certos componentes presentes na cebola e em outras especiarias da mesma família podem causar intoxicação alimentar. Infelizmente, os sintomas só aparecem após três ou quatro dias: o bichinho começa a ficar lento e a urina apresenta coloração alaranjada ou até mesmo vermelha num tom escuro.

2. Chocolate

Pode parecer a melhor recompensa possível dar um chocolatinho para o seu cão por bom comportamento, mas não faça isso! A cafeína e a teobromina podem ser letais. Quanto mais escuro o chocolate, mais perigoso. Vômito, irritação e dores abdominais são sintomas. Convulsões e até mesmo a morte ocorrem nos casos em que grandes quantias foram consumidas; por isso, muita atenção!

3. Abacate

Quase todas as partes de um abacateiro são tóxicas para os animais, inclusive o próprio fruto. Para se envenenar, seu cãozinho teria de comer uma generosa porção, mas as toxinas na polpa e na casca não são o único problema: o caroço pode sufocá-lo e, se ingerido, causar um bloqueio intestinal.

4. Xilitol

Você pode não reconhecer esse componente, mas ele está presente na maioria dos produtos diet e light. Ele não causa problemas em humanos, mas nos cães leva a uma hipoglicemia drástica, que pode resultar em convulsões e atordoamento. Se o animal comer muito, a falência do fígado é um dos problemas mais sérios que podem ocorrer.

5. Frango

Aves em geral são um problema não apenas pelo tempero presente na carne (quando está crua, há menos problemas para os cães), mas também pelos ossos, que podem se partir após ingeridos, causando obstruções no estômago e no intestino (até mesmo os perfurando). Se você suspeita que seu cão tenha engolido um ossinho, fique de olho: a qualquer sinal de dor ou desconforto, leve-o ao veterinário. Normalmente, os fragmentos "fazem a passagem" naturalmente e sem causarem danos, mas é sempre bom ficar atento.

6. Comida vencida

Muitos têm o hábito de dar um alimento recém-vencido para seu mascote... Mas essa prática não é nada boa. Se existirem fungos na comida, também haverá toxinas que causam espasmos musculares e que podem evoluir para convulsões. O resultado final, se não for tratado, pode ser a morte. Evite também deixar itens mofados no lixo onde seu cão possa farejar, para evitar que entrem pelo focinho.

7. Milho na espiga

Tão inofensivo, tão suculento e amarelinho… Nada disso. Seu cão adora mastigar e morder aquele osso sintético por horas a fio? Mesmo assim, a espiga pode provocar muitos problemas se for engolida. É mais seguro deixá-lo como está, roendo o osso.

8. Laticínios

Corte o hábito de dar leite ou sorvetes pro seu animal, já que a maioria dos cães é intolerante à lactose. Embora não necessariamente perigosos, os resultados são desagradáveis: gases e diarreia. Dito isso, pequenas quantias de queijo e iogurte estão liberadas.

9. Salmão cru

Nunca é uma boa ideia dar um sashimizinho pro seu pet. A versão cozida, tudo bem, mas a crua pode proporcionar a doença do envenenamento por salmão, causada por parasitas e que lembra a parvovirose. Os sintomas são similares: vômito, diarreia com sangue, perda de apetite, prostração, febre e aumento dos nódulos linfáticos. A mortalidade também é alta, com 90%, acontecendo sete a dez dias depois que os sintomas aparecem, se não for tratada. Os sintomas demoram uma semana após a ingestão do peixe.

10. Fígado

Um pedacinho não faz mal, mas cuidado com grandes quantias (especialmente com relação ao tamanho do seu bichinho). O problema são os níveis de vitamina A nesse alimento que, em excesso, podem causar deformação nos ossos, anorexia e, em casos raros, morte.

Leve o seu animalzinho ao veterinário o quanto antes se você tem alguma suspeita de envenenamento. E tenha atenção especial com os itens desta lista para manter o seu cãozinho saudável.

Manifeste sua opinião

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário