Honda anuncia nova morte provocada por airbag defeituoso

13/11/2014 11:43

Na Malásia, mulher morre após abertura do airbag em acidente.
Outras 4 mortes pelo problema foram registradas nos EUA.

France Presse

A montadora japonesa Honda anunciou nesta quinta-feira uma nova morte, desta vez na Malásia, provocada pela explosão de um airbag defeituoso da empresa nipônica Takata.

'Um airbag explodiu de maneira anormal e uma mulher faleceu em um acidente em julho', afirmou um porta-voz da montadora. Nos Estados Unidos foram registradas quatro mortes pela mesma causa, duas delas confirmadas pela Takata e pela Honda.

A montadora japonesa, o cliente mais importante da Takata, teve que anunciar o recall de milhões de veículos por causa dos airbags fabricados nos anos 2000 que podem explodir violentamente e projetar fragmentos de metal e de plástico contra os passageiros.

A Honda anunciou nesta quinta-feira (13) um recall de 170.699 carros em todo o mundo, principalmente no Japão, na região Ásia-Pacífico e Europa. A Takata explicou que o problema pode estar relacionado com o clima, porque a substância que serve para inflar o airbag, o nitrato de amônio, pode se deteriorar em caso de muita umidade.

A imprensa denunciou problemas nos controles de segurança, em particular na fábrica mexicana de Monclova. A Agência Americana de Segurança nos Transportes (NHTSA) abriu uma investigação sobre o caso e tenta estabelecer a responsabilidade das empresas, suspeitas de esconder vários incidentes durante anos.

Dois senadores americanos pediram uma investigação criminal do Departamento de Justiça. Analistas destacam que 16 milhões de veículos passaram por um recall pelo problema, metade nos Estados Unidos, de 11 marcas distintas, entre elas Toyota, Nissan, BMW, Chrysler, Mazda, Ford, General Motors e Mitsubishi Motors.

Recall atingiu Brasil

Nos veículos afetados, a bolsa do lado do motorista pode conter um sistema de enchimento que foi fabricado com uma peça incorreta. Quando ele é acionado, pode explodir com força excessiva e lançar fragmentos de metais no veículo, segundo informaram as montadoras.

Cerca de 11 montadoras foram afetadas pela falha da Takata e, desde 2013, elas chamaram aproximadamente 16 milhões carros em todo o mundo para troca do componente, segundo a agência Reuters.

No Brasil, Toyota, Honda e Nissan já convocaram os proprietários de determinados modelos. Juntos, os recalls somam quase 54 mil carros, mas o atendimento ao chamado ainda é baixo. Recalls não têm prazo de validade: as montadoras têm obrigação de fazer o conserto a qualquer momento.

Manifeste sua opinião

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário