'Mascote' de lanchonete em MT, cão obeso é resgatado para tratamento

19/09/2014 09:30

'Bolinha' está com 36 kg, quando o peso ideal para o porte dele seria 10 kg.
Resgate do animal foi feito por uma ONG estadual de proteção animal.

Carolina Holland | G1 MT

O cão obeso que vivia em uma lanchonete de um posto de combustíveis às margens da BR-364, em Mato Grosso, foi resgatado pela ONG Organização de Proteção Animal de Mato Grosso (OPA-MT) na tarde desta terça-feira (17). Bolinha, como é chamado, não tem raça definida e foi abandonado no local há aproximadamente 12 anos. O cachorro foi levado para uma clínica veterinária particular de Cuiabá, onde deve fazer tratamento para emagrecer. O animal está com 36,5 kg. Para o porte dele, o peso ideal seria de 10 kg, segundo informaram os veterinários da clínica.

O posto em que Bolinha vivia fica entre as cidades de Campo Novo dos Parecis e Tangará da Serra. Ao ser resgatado, o cachorro estava tomando chuva, sem água limpa para beber e no meio do lixo, contou o empresário Roger dos Santos Oliveira, de 28 anos, que saiu de Cuiabá na manhã desta terça-feira para buscar o cão, trajeto que durou cinco horas.

'Bolinha' deve passar por tratamento em Cuiabá para emagrecer (Foto: Roger dos Santos Oliveira/Arquivo pessoal)'Bolinha' deve passar por tratamento em Cuiabá para emagrecer. (Foto: Roger dos Santos Oliveira/Arquivo pessoal)

"É um animal bastante dócil, bonzinho. Estava cercado de lixo, a água dele estava muito suja. O cachorro dá dois ou três passos e já para pra descansar. Está tão gordo que o rabo parece que está dentro do corpo dele", relatou. 

Membro da OPA-MT, Oliveira contou que enfrentou um pouco de resistência por parte do dono do posto, que alegou ser o responsável pelo animal. “Ele disse que o Bolinha era a atração dali e que já estava sendo tratado, comendo biscoito de água e sal”, afirmou. O empresário argumentou que seria melhor para o animal que passasse por tratamento pra perder peso e pediu para que o dono do posto pensasse melhor na proposta e desse uma resposta mais tarde.

Em seguida, Oliveira foi para Campo Novo do Parecis e, quando retornou, horas depois, o dono do posto disse que iria liberar o animal. "Mas, ele pediu pra gente manter o contato e mandar informações sobre o Bolinha. E disse que quer o animal de volta quando o tratamento terminar", contou o empresário, que já resgatou mais de 20 animais na capital mato-grossense. Essa foi a primeira vez que ele viajou para fazer um resgate.

Na clínica onde fará o tratamento, Bolinha deve receber ração especial e fazer exercícios na água, por conta do baixo impacto, para evitar que essa atividade cause problemas às articulações do cão. A obesidade animal pode provocar problemas articulares e respiratórios, diabetes e males cardíacos, entre outras doenças.

'Mascote'

Na última semana, o dono do restaurante e lanchonete do posto de combustível havia dito ao G1 ser o responsável pelo animal. E contou que as pessoas param no local e dão comida ao 'Bolinha', o que fez com que o animal ficasse muito acima do peso. "Ele come tudo que o pessoal dá. Um pouco de comida, pedaços de salgado", declarou Edson de Souza.

Manifeste sua opinião sobre essa matéria

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário