História do Ingá

19/07/2014 20:17

O Ingá é um bairro nobre residencial da zona sul do município de Niterói de classe média à classe média alta.

A renda per capita média se situa em torno dos 3.500 reais, ante uma media nacional de 700 reais. Existem edifícios mais modestos voltados para a classe B (classe média)e edifícios luxuosos de mais de 1 milhão de reais, principalmente na orla e próximo dela. Em 2000, mais de 98% da população do bairro, que era de 16 mil moradores, eram alfabetizados. Tem como bairro limítrofes o Centro da cidade, São Domingos, Icaraí, Morro do Estado e Boa Viagem, além das águas da baía de Guanabara.

No passado, antes da fusão entre os estados do Rio de Janeiro e Guanabara, o bairro era a sede do poder estadual. No Ingá, encontram-se importantes museus como o Museu do Ingá, localizado na Rua Presidente Pedreira e o Museu Antônio Parreiras, localizado na Rua Tiradentes. O bairro recebeu este nome devido ao frondoso Ingá que existia nos primordios da ocupação do bairro na atual Rua Tiradentes (outrora rua do o do Ingá).

O comércio local, antes pouco diversificado, conta atualmente com muitos serviços Existem locadoras, farmácias, supermercados 24h, salão de cabeleireiros,academias, restaurante, o famoso e tradicional Instituto de Urologia e Nefrologia de niterói e alguns ateliês e comércio de rua e em breve um grande hotel de cinco estrelas será inaugurado na esquina da Praia João Caetano com a Rua Paulo Alves. Será o primeiro hotel cinco estrelas da cidade.

Além disso, importantes campi da UFF estão localizados no bairro, dentre eles, destacam-se o de Economia, na Rua Tiradentes, e o de Direito na Rua Presidente Pedreira. Em virtude de vários campi, o Ingá, além de residencial, é um bairro que abriga muitos estudantes universitários vindos do interior do estado e de outros estados.

As principais vias do bairro são a Paulo Alves, Presidente Pedreira, Rua Tiradentes, Rua São Sebastião e Fagundes Varela as duas últimas limítrofe com o Centro da cidade e Icaraí respectivamente. Além dessas, a rua da Praia das Flechas, João Caetano, e as ruas Doutor Nilo Peçanha e Pereira Nunes são outras ruas importantes do bairro.

A situação atual do bairro é de grande verticalização. Muitos casarões antigos estão sendo derrubados para a construção de prédios voltados, majoritariamente à classe média alta, atraída pela proximidade do bairro com o mar, o Centro de Niterói e do Rio e dos principais pontos turísticos de Niterói.

Também existe no bairro uma comunidade carente, o Morro do Palácio. A comunidade foi uma das primeiras a receber obras do Oscar Niemeyer, o Maquinho, em referência ao Museu de Arte Contemporânea que está situado muito próximo à comunidade.