Moradores de São Francisco, em Niterói, se assustam com a violência

02/08/2014 23:03

Bar é assaltado duas vezes em uma semana e fecha as portas.
Cabine da PM foi transformada em depósito de bicicletas.

Do G1 Rio

Moradores de São Francisco, uma área nobre de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, estão assustados com a violência na região. Proprietários de um tradicional bar do bairro, o Formiguinha, informaram na última quinta-feira (31) que decidiram inclusive fechar as portas do estabelecimento, depois de sofrerem dois assaltos em apenas uma semana. Índices do Instituto de Segurança Pública (ISP) comprovam o crescimento do roubo de transeuntes na região. Enquanto isso, uma cabine da PM no bairro foi desativada, e agora é depósito de bicicletas.

Pelos números divulgados pelo ISP, em 2013, em junho, a 79ª DP (Jurujuba), que cuida do policiamento da área, teve 20 registros de roubos a transeuntes. Este ano, no mesmo mês, foram 34 registros. Em relação aos roubos em geral, em 2013, foram 48 registros. Este ano, 53 crimes foram registrados.

No Bar Formiguinha, que funcionava há 12 anos na Travessa Wadhi Curi, um aviso foi colado na porta do bar, avisando aos frequentadores que o local não irá mais funcionar. "Por falta de punidade, fechamos!", diz o texto. O estabelecimento está apenas terminando o estoque nos próximos dias antes de fechar a porta.

“Há 12 anos eu tenho esse bar, mas do jeito que está não posso continuar. Vou abrir esses últimos dias até as 14h e depois disso vou parar”, lamentou o dono do estabelecimento, que preferiu não se identificar.

Moradores da região dizem que o bairro nunca teve tantos assaltos como nos últimos meses. Eduardo Siqueira, de 27 anos, cresceu em São Francisco e resolveu trazer a namorada para morar com ele no bairro por causa do ambiente tranquilo, mas se surpreendeu. “Trouxe ela do Rio para Niterói por causa da tranquilidade do bairro, mas me arrependi. Hoje não tenho coragem para sair a pé a partir das 20h por aqui. Há uns quatro anos atrás, eu voltava do trabalho a pé sem medo algum”, disse Eduardo, que trabalha como DJ em boates e restaurantes.

Uma queixa comum entre os moradores de São Francisco é que o policiamento acontece apenas na orla da praia, mas as ruas transversais ficam abandonadas pela polícia. A moradora do bairro Suely Almeida reclama de uma cabine da Polícia Militar abandonada na região. “Há muito tempo que ninguém fica na guarita. Durante a Copa do Mundo teve até policiais de bicicleta por aqui, mas agora não vemos mais nada. Eu estava no Formiguinha quando foi assaltado da última vez, é uma situação delicada”, comentou Suely. 

O G1 esteve na guarita, e constatou que ela atualmente funciona como depósite de bicicletas da PM.

A  corporação informou que houve redução de registros de ocorrências nessa área, com exceção do roubo a transeuntes. Por esse motivo, o policiamento foi retirado da cabine provisoriamente e deu-se prioridade a colocar mais viaturas fazendo rondas na região. Ainda de acordo com o comando do 12º BPM (Niterói), responsável pelo patrulhamento da área, análises são feitas diariamente para aumentar o dinamismo do policiamento e dar à população maior segurança.

De acordo com o delegado titular da 79ª DP (Jurujuba), Henrique Pessoa, os agentes estão analisando as imagens de segurança que registraram o assalto ao bar Formiguinha e testemunhas estão sendo ouvidas.

Moradores se mobilizam

No último sábado (28), além do bar Formiguinha outro estabelecimento foi assaltado no bairro. Uma lanchonete na Avenida Rui Barbosa foi invadida por suspeitos que estavam em um carro. Preocupados com o aumento da criminalidade no bairro, moradores se juntaram em uma rede social para debater melhorias para São Francisco. Roberto Bronze, de 60 anos, é integrante do grupo e não se conforma com os constantes assaltos na região. “Isso aqui está um absurdo, uma coisa inexplicável. Moro desde os meus 10 anos aqui e nunca vi isso assim”, disse Roberto.

Manifeste sua opinião sobre essa matéria

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário